terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Rap - Existe Diferença Entre o Nacional e o Americano?


Aê galera! Feliz 2013 pra todos nós!!
E vamos tocar mais um ano, porque já que o mundo não acabou (rs) só nos resta continuar em frente!
O 1º post do ano vai ser sobre um assunto polêmico, porém muita gente não fala nada sobre isso: o cenário do Rap, tanto nacional quanto gringo.


Pois bem, o Rap surgiu na década de 70, nos Estados unidos.
Até aí, é história da música. Mas existem diferenças gritantes entre o Rap daqui do Brasil e o Rap americano.
Rap (que significa "rhythm and poetry" - ritmo e poesia) a princípio, surgiu como uma válvula de escape. As músicas continham letras fortes, sobre o cotidiano dos bairros mais pobres e violentos, violência policial, drogas, enfim... material não faltava para novas músicas.

Aqui no Brasil, surgiu aproximadamente na década de 80, com os pioneiros Thaíde & DJ Hum, Pepeu, e claro, os Racionais MC's. A princípio, era um movimento bem underground, não era de conhecimento geral do público, e pra se conhecer era só com quem era envolvido no cenário da época (pelo menos, aqui na minha cidade).

Thaide e DJ Hum e Racionais MC's: pioneiros no Rap nacional.

Já nos Estados Unidos, a diferença é que o Rap é mais de tendência.
Uma época, era mostrar a realidade através das músicas. Até aí, era o Rap como deveria ser. Mas de uns anos pra cá, a única coisa que se mostra nas músicas é "tenho dinheiro", "trepo com a mulherada", "tenho carrão", e nos clipes é só Rolex, correntes de ouro e mulheres com pouca roupa.

O Rap nacional manteve-se engajado no movimento original.
O que acredito que é o correto, pois seria totalmente errado mostrar uma realidade que não condiz com nossa realidade. Outro exemplo, no Rock, seria o Punk nacional, pois nasceu nos bairros pobres, e servia como música de protesto. Por isso, fica aqui meu respeito pelos músicos e grupos que se mantêm fiéis aos seus ideais, entre eles o Sistema Negro (daqui da minha cidade), Consciência Humana, Facção Central, Face da Morte, RZO, Dexter, Realidade Cruel, Racionais MC's, MV Bill, Câmbio Negro, entre tantos outros, que não cedem às tendências americanas (acho que nem daria certo).

Ótimos álbuns de Rap da década de 90: altamente indicados!!

A maior demagogia deste país é dizer que o Rap é apologia ao crime, tráfico, enfim... cara, mostrar a realidade é errado? Todas as letras tem um moral, uma história a ser aprendida e entendida.
Se for apologia ao crime, então o Rap americano, que é consumido por milhares de pessoas que nem entendem o que o cantor diz, é apologia à putaria e à ostentação? Nisso, ninguém fala, certo?
Na época que eu curti e conheci esses grupos (alguns pessoalmente), não tinha riquinhos querendo fingir ser bandidos, escutando Rap alto nos carros dos pais, sem entender a real mensagem dessa galera, eram realmente as pessoas que entendiam o que eles queriam dizer, entre eles, eu.

Sou um roqueiro que curte Rap nacional. Bela combinação, hein?

Um comentário:

  1. Cara, gostei das suas palavras, obg por esse texto incrível.
    Me ajudou muito.

    ResponderExcluir