quarta-feira, 11 de junho de 2014

Casos Sinistros da Música - Tupac Shakur

Fala galera!

Voltei com mais um dos "Casos Sinistros da Música".
Quando comecei a postar esses casos, não achei que os visitantes iriam gostar tanto. E isso me incentivou a pesquisar mais sobre algumas histórias sinistras que eu já conhecia, colher a maior quantidade de detalhes e mostrar pra vocês.
E dentre esses casos, o que intriga muito as pessoas, é o do rapper Tupac Shakur.



Claro que outros músicos possuem casos estranhos, como Elvis Presley que não morreu, assim como Michael Jackson, e assim como Tupac também.
Tupac viveu não como um rapper, mas sim como um Rockstar.
Mas o grande diferencial é que mesmo após os quase 18 anos de sua morte, Tupac é responsável por uma quantidade sem número de teorias sobre sua possível "morte (ou como forjou sua morte)".

Apenas para lembrar: Tupac foi atingido por 5 tiros no dia 7 de setembro de 1996, mas morreu no hospital em 13 de setembro do mesmo ano.
Então surgiram várias teorias de conspiração, que vão desde o dono de sua gravadora ter envolvimento no assassinato, os Illuminatis encomendarem a morte do músico e uma teoria envolvendo o número "7", que por sinal é a mais utilizada, que nos mostra uma grande quantidade de coincidências do uso ou aparecimento desse número nas músicas, frases e vídeos de Tupac.

Dentre tantas teorias, parece que ninguém ouviu o que o rapper dizia.

Mas deixando essas teorias de lado, existe um fato obscuro, por detrás de tudo o que foi apresentado, e que nunca vem à tona: seria possível uma pessoa prever eventos futuros em sua vida?

E Tupac realmente previu vários fatos ocorridos em sua vida, em sua músicas. Algumas dessas previsões, ocorreram algum tempo antes. Outras, mais próximas.Vamos aos exemplos.

Em 1991, Tupac lançou seu primeiro álbum, "2Pacalypse Now".
Nesse álbum, que iniciou sua carreira, a música chamada "Trapped", fala sobre a armação dos policiais faziam para prender qualquer pessoa.

Capa do disco de 1991.

Em 1992, Tupac foi preso em Oakland. Os policiais disseram que ele ofendeu os policiais, mas as testemunhas disseram que ele apenas atravessou a rua e os policiais chegaram batendo, e armaram uma grande farsa para tentar prender o músico.
"Escrevi uma música no meu disco sobre o que meus amigos me contavam sobre a polícia. Nunca havia sido preso. Escrevi a música, fui espancado pela polícia."

Em 1993, Tupac lançou seu segundo disco, "Strictly 4 My N.I.G.G.A.Z.", cantou em várias músicas sobre a liberdade de expressão e como o governo tentava calar quem dizia a verdade.
Entre 1993 e 1994, seus discos passaram por uma severa condenação de apologia à violência e quase foram proibidos.

Capa do disco de 1993.

Até aqui, não parece muito grave, certo?
Agora vem as partes mais chocantes.

O seu quarto disco lançado em 1995, "Me Against the World", foi lançado pouco antes de uma fase turbulenta em sua vida. 
A música "If I Die 2Nite (Se Eu Morrer Essa Noite)" fala do perigo de vida que ele corre. Na música "Outlaw (Fora da Lei)" ele diz que uns caras mascarados vieram atirar nele.

Capa do disco de 1995.

Poucos dias antes da mixagem do disco, Tupac foi baleado 5 vezes em Nova Iorque, por homens mascarados no saguão de um prédio.
Na canção "It Ain't Easy (Não é Fácil)" ele canta sobre estar na cadeia. No início de 1995, uma semana antes do lançamento do disco, foi preso por uma acusação armada pela polícia.

Então, à partir desse ponto, ele mesmo começou a ficar paranóico.
Assim que saiu da cadeia (onde ficou cerca de 10 meses), ele entrou em um estúdio e gravava três músicas por dia. Completou um disco duplo em cerca de 15 dias. Ele mesmo dizia: "Não tenho muito tempo. Então preciso deixar as coisas arrumadas.".

Então, poucos dias antes de sua morte, em 1996, é lançado o disco "All Eyez on Me", com a música "I Ain't Mad At Cha (Não Estou Bravo com Você)". E para surpresa de todos, o vídeo mostra Tupac saindo de um local público com um amigo, e sendo alvejado algumas vezes, e acaba morrendo. E isso foi algo extremamente similar ao que ocorreu em sua vida real, poucos meses depois, onde ele foi baleado na saída da luta de Mike Tyson, onde estava com um amigo.

O homem mascarado se aproximando;
Tupac e um amigo saindo do local;
Tupac sendo baleado. Tudo muito parecido com a realidade.

Apenas uma reportagem falou sobre isso, mas a revista em questão foi retirada das bancas em menos de dois dias após ser lançada.

"Será que o rapper Tupac Shakur previu sua própria
morte em seu último vídeo?". A reportagem que sumiu das bancas.

Tantas pessoas se preocuparam com a possível morte forjada de Tupac, com várias teorias sobre sua morte.
Mas até agora, nunca apontaram que ele sabia que iria morrer cedo e de forma violenta.
Será que foi apenas coincidência? Ou será que ele realmente previu alguns passos decisivos em sua vida?
E o mais intrigante: sua morte foi profetizada, por ele mesmo, e ele deixou isso registrado.

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Todas as pessoas que se envolve no mundo da indústria da música elas sabem que se irem contra os sistema do governo eles sabem muito bem que um dia vão morrer no caso de tupac a teoria mas lógica de ele ter morrido foi pq ele era um revolucionário por isso que ele foi morto. Entre outros tbm. Eles vale mais Morro do que vivos principalmente esses considerados rebelde para o sistema.

    ResponderExcluir