segunda-feira, 24 de março de 2014

Tabuleiro Ouija - Possessões são Reais?

Fala galera!
Como o parceiro Predomínio do Terror postou dois relatos sobre essas "brincadeiras" (podem ser lidos AQUI e AQUI), então vou complementar essa história. Essas brincadeiras são mesmo reais?


Até onde eu pesquisei sobre o assunto, e conheço isso a um bom tempo, não só apenas com os famosos Tabuleiros Ouija podem se fazer esse tipo de "brincadeira". Podem reparar que coloco brincadeira entre aspas, porque na verdade não é uma brincadeira.

Uma sessão de perguntas aos espíritos, sem o tabuleiro Ouija.

Esse tipo de ato é, na realidade, uma invocação. Você não coloca simplesmente um copo, uma lente, um cursor ou qualquer outro objeto sobre o tabuleiro e sai fazendo perguntas.
De uma maneira bem simplista, imagine uma antena e um rádio: você fica rodando a frequência do rádio até encontrar a estação mais próxima, ou a com sinal mais forte.
Com essas invocações, funciona da mesma maneira. É feito uma oração, ou um chamado, algo desse gênero. E o espírito mais próximo entra em contato. E claro que o espírito não possui o objeto. Ele comanda de alguma maneira.


Um pouco da história do Tabuleiro Ouija

As origens do tabuleiro Ouija estão envoltas em mistério, mas não há evidências que sugerem que ele pode ter surgido à partir de civilizações antigas. Segundo os historiadores de ocultismo, a primeira menção histórica de algo parecido com um tabuleiro Ouija foi encontrado na China por volta de 1200 AC. Os chineses se guiavam por uma vara em torno de uma bandeja cheia de areia para se comunicar com espíritos. Outras fontes afirmam que Pitágoras, em 540 AC, realizava sessões de "mesa mística", que se deslocavam sobre rodas, movendo-se por sinais, e o filósofo e seu pupilo, Filolau, interpretou para o público como sendo supostamente "revelações de um mundo invisível . "

Antigas sessões de Ouija: Notem a mesa suspensa na primeira foto e a "fumaça" na segunda foto.

O primeiro uso indiscutível dos "tabuleiros falantes" surgiu quando o movimento espirita varreu o mundo na década de 1850. Tudo começou em 1848, quando as irmãs Fox começaram a ouvir batidas misteriosas em sua casa em Nova York, que alegaram ser comunicações do mundo espiritual. Após uma série de sessões de perguntas e respostas, Kate Fox supôs que o barulho era o de um inquilino anterior que tinha sido assassinado e enterrado no porão da casa Fox. O encontro paranormal ganhou mais credibilidade quando restos humanos teriam sido desenterrados em baixo do chão da pequena casa de campo. A notícia rapidamente ganhou atenção nacional e as irmãs Fox se tornaram celebridades. O desejo de se comunicar com os mortos tornou-se uma mania nacional que logo se espalhou em todo os Estados Unidos e Europa.

As Irmãs Fox: a assombração em sua casa as levou a uma descoberta sinistra...

As pessoas começaram a realizar sessões organizadas onde faziam perguntas para os espíritos, que poderiam ser respondidas por uma série de batidas ou pancadas . Dizia-se que mais de 10% da população começou a realizar essas sessões. Mesmo Mary Todd Lincoln (esposa do presidente Abraham Lincoln) realizou sessões espíritas, na Casa Branca, de fato, tentando se comunicar com seu filho falecido.

Métodos de adivinhação na época incluíam balançar um pêndulo sobre uma placa que tinha cartas ao redor da borda, ou usando uma tabela inteira para indicar letras desenhadas no chão. Em seus primeiros anos, o tabuleiro Ouija foi referido como uma "tábua que fala" e parecia muito diferente dos tabuleiros que conhecemos hoje.
Então, em 28 de maio de 1890, os empresários Elias James Bond e Charles Kennard tiveram a ideia de patentear. Assim, eles inventaram o primeiro tabuleiro Ouija. Em 1966, os direitos do tabuleiro Ouija foram vendidos a Parker Brothers, que ainda mantem todas as marcas e patentes.

Os primeiros tabuleiros e o mais conhecido, de 1967.

Investigadores paranormais acreditam que existem muitos tipos diferentes de espíritos co-existentes conosco no mundo físico . Eles vêem o tabuleiro Ouija como não tendo qualquer poder, mas sim como uma ferramenta que pode ser usada para contatar espíritos que residem no plano astral inferior. Esses espíritos são frequentemente muito confusos e podem ter morrido de maneira violenta ou súbita. "A maioria dos mortos recentes, que são, na verdade, fantasmas, nunca são vistos pelos vivos novamente. Em algumas circunstâncias, no entanto, os mortos podem ser presos nas regiões etéreas inferiores mais próximos à nossa realidade física e muitas vezes eles não sabem como ou simplesmente se recusam a seguir em frente. Muitas vezes, essa relutância é o resultado de morte súbita , violenta, combinada com emoções negativas ou circunstâncias que servem como ligações tangíveis - aos mortos, pelo menos - ao mundo físico".

Antes da invenção do tabuleiro, nas sessões eram usados objetos como tesouras, pulseiras de metal, correntes, até mesmo bíblias. Com as pessoas mais velhas que conversei, dizem que essas invocações sempre acabavam mal, pois alguém sempre se feria, ou via algo que não deveria ver.

Pra ficar uma coisa mais ilustrada, vamos assistir esse vídeo:


Assistiram?
Sabem o que aconteceu?
Em todo ato de invocação, o espírito fica extremamente próximo à nós. E pra falar a verdade, até hoje nunca (quando digo nunca, é nunca mesmo!) conheci uma pessoa, ou vídeo, ou relato, de alguém que conseguiu conversar com algum espírito bondoso. Isso nos leva a crer que, apenas as almas que estão vagando por aí, ruins, de fato, é que são chamadas. E claro que essas almas não ligam de fazer o mal para os outros.

Outro exemplo é esse vídeo abaixo:


E esse caso acima é de um demônio conhecido pela rede, chamado Zozo. Ficou famoso por ser o "demônio do tabuleiro Ouija". Confirmando minha alegação acima, percebe-se que não importa as nossas intenções, sempre ocorrerá algo que não esperamos ou que não podemos controlar. NUNCA temos o controle da situação. Sempre me disseram que se o indicador (copo, cursor, etc.) fica andando perdido no tabuleiro, ou rodando sem rumo, algo de ruim está para acontecer.
Esse vídeo abaixo é muito interessante.
Mostra estudiosos gravando frequências de sons durante uma invocação com o Ouija.
O final do vídeo é o mais interessante de tudo: atente-se aos 1 minuto e 30 segundos.


Pesquisador: "Porque você matou essa família?"
Resposta: "Por diversão."

Então, não recomendo ninguém que faça essas invocações, a não ser que alguém saiba evocar também.
Ou vocês acham que é só chamar, que depois o espírito vai embora de boa?
Lembrando: o filme clássico de terror "O Exorcista", foi inspirado em uma história real.
Pra quem assistiu, sabe que a garota foi possuída por um espírito vindo de uma sessão dessas.

Eu passei por dois casos que me deixaram bem chocado na minha adolescência, então não indico ninguém a fazer isso.
Mas caso queiram, se divirtam com um Ouija online!
Acessem clicando AQUI.

Espero que tenham gostado!
Se cuidem!

5 comentários:

  1. Melhor site. Explicou tudo!

    ResponderExcluir
  2. Um aviso de um amigo esse tabuleiros estão todos mal fabricados não vai trabalhar corretamente bem com eles

    ResponderExcluir
  3. As pessoas brincam duvidam da existência de espírito satânicos por trás dessa " INOCENTE" brincadeira,mas mal sabem o perigo que elas correm.nunca brinquem com esse tabuleiro.

    ResponderExcluir
  4. Perdi uma amiga,ela quebrou regras,jogou sozinha...andava estranha,nao se alimentava,nao dormia,nao falava com ninguem a dias.se cortou.se enforcou.este foi o fim ,..nao jogue,isto vai acabar com vc,e principalmente com quem vc ama.

    ResponderExcluir